Você sabe o que é a Ortorexia?

Foto: (Blog O Imparcial)

Você já deve ter ouvido falar em alguma pessoa que deixa de comer para atingir um padrão estético que deseja, característica da anorexia ou já deve ter ouvido falar de outras que comem e provocam vômito, caracterizando a bulimia. Mas você sabe qual o nome da síndrome que tem como comportamento principal o desenvolvimento excessivo de hábitos alimentares saudáveis? A ortorexia, que teve seu conceito criado e pesquisado inicialmente no ano de 1977 pelo médico norte- americano Steven Bratman. Ele observava na maioria de seus pacientes a vontade constante de manter hábitos alimentares excessivamente saudáveis. O conceito real da palavra significa apetite correto.

Apesar de ter sido um conceito descoberto há um bom tempo, ele nunca foi pesquisado mais profundamente e é considerada uma síndrome nova. Além disso, ela ainda não entrou na lista de distúrbios alimentares, mas isso não a torna menos grave. Com base em pesquisas da University of Colorado, dos Estados Unidos, aproximadamente 1% da população mundial sofre com essa fixação, o que corresponde a um contingente de 70 milhões de pessoas em números absolutos.

De acordo com a ABRAN (Associação Brasileira de Nutrologia) “a pessoa ortoréxica inicia uma busca obsessiva por normas  de alimentação saudável. As informações são obtidas através dos meios de comunicação porém são informações distorcidas e exageradas para ficar saudável”, afirma. Além disso, acabam excluindo muitos alimentos, por exemplo: como corantes, conservantes, gorduras trans, açúcar, sal, entre muitos outros. Isso leva até a exclusão de grupos de alimentos considerados importantes para uma nutrição adequada podendo levar a quadros de carências nutricionais ou subclínicos.

“Acho que a maioria das pessoas que tem esse comportamento, são pessoas com problemas de auto-estima e que já passaram ou ainda passam por algum tipo de transtorno alimentar, ou são influenciadas a seguirem um padrão de corpo ou saúde”, afirma a estudante Luiza Moura que já apresentou um quadro de bulimia nervosa.  Além disso, ela ainda afirma a importância de essas pessoas procurarem ajuda, pois o corpo humano precisa de nutrientes e que o problema não é necessariamente ficar sem comer, mas sim comer com consciência do que você precisa, e não se preocupar em sair da rotina, finaliza ela.