Vila Werneck: conheça a vila que sobreviveu à urbanização vertical no coração de BH

Foto: Gabriella Lodi

Um local que consegue preservar as características de uma cidade do interior, mesmo dentro de um grande centro urbano. Localizada no centro de Belo Horizonte, na rua Guajajaras, a Vila Werneck é um pequeno oásis em meio a confusão e agitação da vida urbana. É um desses lugares que fazem as pessoas voltarem no tempo: um portão vermelho cercado por prédios que guardam 12 construções tombadas pelo Patrimônio Histórico e, entre elas, um restaurante e uma praça.

A vila foi inaugurada na década de 40 pelas famílias Souza Lima e Werneck. “Ela nasceu com um proprietário único, o Mário Werneck. Ele construiu uma casa sede, linda, que foi derrubada e atualmente é um prédio. Ele fez o resto das casas para aluguel, era uma espécie de quintal. Mal sabia ele que esse quintal se transformaria hoje na Vila Werneck”. Afirma Hélio D’ávila Maciel, 55, morador e dono do restaurante macrobiótico Fonte, situado na vila.

Hélio tem três filhos que foram criados no local. Para ele, sempre foi um privilégio morar em um lugar tranquilo, silencioso e seguro no meio da vida urbana. “As vantagens são muitas, a vila dá a tranquilidade de uma bairro pacato, mas perto de tudo, shopping, banco, instituições públicas. É claro que não é perfeito, nós estamos no meio da selva de prédios de BH,  a região é árida, tem poucas árvores, pouca ventilação. Mas esses aspectos não tem tanto peso perto do privilégio de você viver aqui na vila, nesse lugar histórico, charmoso e tranquilo. E eu acho que a vila é isso: quem está aqui não quer ir embora”.

Outro capítulo importante na história do local  é sua transformação em Patrimônio Histórico de Belo Horizonte. Hélio explica que, sem o tombamento, a especulação teria acabado com a vila: “O interesse dos empresários era comercial, a gente queria evitar demolições como a da sede. O tombamento pelo patrimônio histórico inviabiliza a destruição das casas e  proporciona a preservação e o alívio da segurança”.

O restaurante Fonte

Inaugurado em 1977, o restaurante Fonte é um dos poucos em Belo Horizonte especializado em cozinha macrobiótica, baseada em produtos integrais. Localizado na Vila Werneck, casa 13, o Fonte tem pratos elaborados com ingredientes frescos, preferencialmente orgânicos e com opções veganas e low carb.

O restaurante está na família de Hélio Maciel há 42 anos. Segundo ele, o Fonte não atrapalha a vida harmônica do local. “O fato da vila ser aberta ao público, de ter o restaurante, areja o ambiente e traz um fluxo legal de pessoas que buscam experimentar a cozinha macrobiótica”.

Curiosidade RA

A cozinha macrobiótica é baseada em um regime alimentar e de vida originário das ideias do Zen Budismo. O criador da dieta é o japonês George Ohsawa. Ele começou a difundir sua filosofia por volta de 1920, quando garantiu curar uma doença séria através da dieta macrobiótica, baseada na filosofia chinesa Yin e Yang.

O Yin e Yang são conceitos que representam os opostos, ou seja, eles expõem a dualidade de tudo que existe no universo. O equilíbrio sódio-potássio, por exemplo, é algo para ser observado na dieta. A proporção dos elementos deve se aproximar, na alimentação, da proporção existente nas células do organismo humano com a finalidade de chegar ao equilíbrio desses opostos.

Dessa forma, a dieta tem como princípio um estilo de vida em harmonia com a natureza e uma alimentação simples, equilibrada e balanceada. O seu objetivo é atingir não apenas a saúde física, mas, também, o bem-estar mental. Os principais alimentos da dieta são: os cereais integrais, legumes e verduras frescas.