Ter um bom começo no brasileirão é desafio para os rivais mineiros

O Campeonato Brasileiro de 2018 já está em andamento, desde o final dos estaduais. Atlético e Cruzeiro, no entanto, tem um desafio em comum para superar: Realizar um bom começo no torneio, o que aconteceu raramente nos últimos três anos. O Roteiro Alternativo analisou as três primeiras partidas dos dois times entre 2015 e 2017.

Em 2015, no Campeonato Brasileiro, a equipe Celeste começou muito mal. Nas primeiras três rodadas, foi apenas um ponto conquistado. O Cruzeiro foi derrotado para o Corinthians em BH e para o Santos no litoral paulista, e em seguida apenas empatou com a Ponte Preta no Mineirão. Já o Galo, também nas primeiras três rodadas, somou 4 pontos: Empate com o Palmeiras em São Paulo,  vitória contra o Fluminense em casa e derrota para o Atlético Paranaense, em Curitiba. No final do campeonato, o Atlético Mineiro foi vice-campeão da competição e o Cruzeiro terminou em 8º.

No ano de 2016, os dois clubes tiveram um início parecido: Os mesmos 4 pontos conquistados para o Galo e o mesmo ponto solitário para o Cruzeiro, nos primeiros três jogos. O Atlético venceu a partida contra o Santos na estréia no Horto, empatou com o Atlético Paranaense e em seguida perdeu para o Grêmio na capital mineira, com placar elástico, 3×0. A equipe cruzeirense iniciou a competição perdendo para o Coritiba no Paraná, depois empatou com o Figueirense no Mineirão e perdeu de goleada para o Santa Cruz, 4×1 no Estádio Arruda. No final desta edição do Brasileiro, o Galo terminou em 4º lugar. O Cruzeiro ficou em 12º.

No ano passado, a história foi diferente para o time azul e branco. 7 pontos conquistados nas mesmas rodadas analisadas.Venceu o São Paulo no Mineirão, empatou com o Sport em Recife e ganhou do Santos em plena Vila Belmiro. A história para o Atlético foi diferente, apenas dois pontos adquiridos: Empate contra o Flamengo no Maracanã, derrota para o Fluminense no Independência e empate com a Ponte Preta no mesmo local. O Cruzeiro acabou a competição em 5º, o Galo em 9º, ficando de fora da Copa Libertadores após cinco participações seguidas.