STF vai reforçar equipe para acelerar julgamentos da Lava Jato

Carmen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), juntamente à Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato na Corte, anunciaram nesta segunda-feira (17) que vão criar um “grupo de assessoria especializada” com o objetivo de acelerar a análise das investigações de casos da operação.

A intenção da “força-tarefa” é dar prioridade aos vários inquéritos e ações penais ligadas à Lava Jato, uma vez que as novas investigações que surgiram a partir da delação da Odebrecht ocasionaram um acúmulo de casos no STF.

O gabinete de Fachin, hoje, conta com três juízes auxiliares. Ainda não está definida qual a proporção da nova medida, e nem quantos novos servidores contribuirão com o grupo.

Ministra Carmen Lúcia em entrevista ao Roteiro Alternativo

Confira aqui a entrevista de Carmen Lúcia ao Roteiro Alternativo sobre sua atuação como professora


A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), que solicitou à ministra Carmen Lúcia a criação do grupo de apoio, explicou:

“Constam mais de 500 processos de competência originária em trâmite perante o Supremo Tribunal Federal que podem avolumar-se como decorrência das investigações em curso, sendo fato incontroverso que sempre se constituem em questões complexas e volumosas. Esse cenário impinge aos ministros do Supremo Tribunal Federal uma intensidade de atuação incompatível com a atual estrutura”

Celso Lamounier

É estudante de Jornalismo e Relações Públicas. Idealizador do projeto e membro fundador, atua como repórter, editor e integra a diretoria executiva.