Saiba mais sobre a restauração da Igreja de São José

(Foto: Beatriz Pinho)

A Igreja de São José é um dos pontos turísticos mais tradicionais em Belo Horizonte. Desde 2009, vem passando por uma restauração que recuperou a fachada original, feita em 1911, repleta de cores vivas. Após um longo período, falta apenas a parte de trás da igreja para que as obras sejam concluídas.

O pároco da igreja Padre Nelson Antônio explica que as pinturas – internas e externas -, já estavam bem envelhecidas em função das variações climáticas e até mesmo a poluição, o que motivou a restauração. Ele ressalta que a parte de dentro do santuário foi afetada pelo tempo devido ao fato de as portas ficarem abertas o dia todo para os fiéis.

A restauração na parte interna foi feita com o objetivo de reavivar as pinturas que ali existiam, não houve acréscimo ou mudança no original. O lado externo teve uma mudança interessante, Padre Nelson conta que foi descoberto, através de arquivos, algumas fotos da origem da Igreja e que essa apresentava um dos aspectos do estilo bizantino, as cores fortes. Junto com os outros padres da paróquia e o conselho paroquial, foi decidido que seria feito o regate desse aspecto histórico. A pintura original -concluída em 1912 – durou até 1928, no entanto trazer o pintor responsável da Alemanha novamente naquela época seria muito custoso, por isso optaram por passar uma camada uniforme de tinta.

Segundo ele, o número de frequentadores do santuário aumentou por causa da vida que as cores trouxeram para o centro, que possui prédios predominantemente em tons pastéis: “Essa mudança trouxe um novo público que veio não só pela fé, mas pelo gosto arquitetônico, pelo interesse em história e nas artes”. Essa aproximação do público foi fundamental para que as obras ocorressem, tendo em vista que não houve auxílio governamental, embora a Igreja de São José seja tombada pelo patrimônio municipal.

Em função dos andaimes, os casamentos foram reduzidos por causa da estética do local que ficava prejudicada. No entanto, as demais atividades paroquias continuaram normalmente. As obras também não prejudicaram aqueles que trabalham e passam diariamente pelo local como a advogada Yara Marks, que trabalha na rua Tupis. Segundo ela “a reforma não causou transtorno para nós que estamos próximos ao local, tudo foi feito de maneira muito organizada. Eu, inclusive, fiquei muito ansiosa para a pintura tomar forma, a gente fica curioso quando algo tão grandioso acontece em locais que nós gostamos”, conta.

Breve Histórico

A Paróquia de São José iniciou suas atividades em 27 de janeiro de 1900, por Dom Silvério Gomes Pimenta, e foi entregue aos Missionários Redentoristas para cuidado pastoral. Tornou-se matriz em 1904 e ganhou sua escadaria em 1910. No ano seguinte começou o processo de pinturas internas e externas, durando até 1912, e sendo desenvolvido pelo pintor alemão Guilherme Schumacher e sua equipe.

O projeto arquitetônico da igreja foi elabora por Edgar Nascentes Coelho e as obras foram dirigidas pelo redentorista holandês Gregório Mulders. A construção segue o estilo neomanuelino – arquitetura do romantismo português – com fortes influências holandesas. O santuário possui a forma de uma cruz latina devido ao vão de suas duas torres laterais e a totalidade de sua torre principal, produzindo a imagem.

Parta da lateral da Igreja já restaurada e parte com a cor antiga. (Foto/Beatriz Pinho)