Rafaela Silva, 3 troféus e gratidão à família

As Olimpíadas do Rio tiveram histórias muito marcantes, e talvez, a medalha de ouro de Rafaela Silva no judô tenha sido uma das mais marcantes. Isso porque na Olimpíada de Londres 2012, Rafaela sofreu insultos racistas e além disso, não conseguiu corresponder a expectativa no tatame. Mas os tempos ruins se foram e ela conseguiu o ouro em 2016. Não só isso, a lutadora ganhou 3 troféus na coroação do Prêmio Brasil Olímpico que ocorreu no Rio de Janeiro, no início desse ano.

Rafaela não pôde comparecer à cerimônia, no entanto, seus familiares estiveram presentes e mesmo de longe ela deixou um recado: “se tivesse que dar esse troféu para alguém, seria para a minha irmã, que sempre foi meu espelho e minha inspiração. É um reconhecimento a tudo que eu passei na minha carreira como judoca até chegar ao ouro olímpico, o auge de qualquer atleta. Espero que a minha história possa inspirar cada vez mais crianças, assim como eu, de comunidade, e mulheres que queiram praticar esporte a acreditarem em seus sonhos e a terem força e determinação para realizá-los. É possível. Não é a minha cor ou o lugar de onde venho que vão determinar até onde posso chegar. Foram as oportunidades que eu tive e a minha força de vontade, acima de tudo, que me fizeram o que sou hoje. Eu consegui, e foi com a ajuda de muita gente que acreditou em mim” – disse a judoca, em matéria do Globoesporte.com.

Rafaela Silva e sua irmã, Rachel, na Cidade de Deus (Foto:Leslie Davis/New York Times)

Depois de saber do discurso de sua irmã, Rachel Silva respondeu: “eu fico muito feliz e orgulhosa de saber que de alguma forma fui espelho para ela. Sou a irmã mais velha, sempre a tratei como minha filha, superproteção de irmã. Sempre dei o meu melhor, mas a gente nunca faz esperando esse reconhecimento de volta. Por isso fico orgulhosa que ela me vê como espelho. Sinal que fiz um bom trabalho. Apesar de termos apenas três anos de diferença, a Rafaela sempre foi muito bagunceira. Eu como mais velha, tinha que proteger. Sentia que era uma responsabilidade minha”.

 

Acesse a matéria na íntegra aqui.

Matheus Capanema

É estudante de Jornalismo. Atua como repórter, apresentador e cinegrafista.