Pessoas com deficiência enfrentam dificuldades no Mineirão

Torcedores ocupam espaço destinado aos cadeirantes (Foto: Reprodução/WhatsApp)

Ponto turístico de Belo Horizonte, o Estádio Governador Magalhães Pinto, popularmente conhecido como Mineirão, recebe, ao menos, quatro partidas de futebol por mês. Em cada jogo, milhares de torcedores comparecem ao local para prestigiar e torcer pelo time do coração. Entretanto, uma parcela desse grupo sofre com diversas dificuldades de acessibilidade e locomoção no estádio. Com o intuito de lutar pelos próprios direitos, um grupo de torcedores com deficiências variadas criou a Torcida Cruzeiro Eficiente, que conta com cadeirantes, cegos, surdos, mudos, entre outros. Todas as PCD’s (pessoas com deficiência) e simpatizantes são bem-vindos.

As dificuldades, de locomoção e de visibilidade nas arquibancadas do Mineirão são os maiores problemas enfrentadas pelos torcedores cadeirantes que compõem o movimento. Leônidas Bisneto, 31, atual presidente da torcida, afirma que, em jogos de maior público, os problemas são acentuados pela falta de conscientização das pessoas. “Quando o estádio lota, fica ruim para ver o jogo, por causa de torcedores que ficam em pé e atrapalham a nossa visão”. O grupo assiste aos jogos no setor vermelho inferior, próximo ao gramado.

Segundo ele, apesar de o estádio ter uma estrutura boa para cadeirantes, ainda há bastante a melhorar, a começar pelos elevadores. “Lá [no Mineirão] tem elevador, mas, o que fica perto do nosso setor, fica desligado. Só é ligado quando pedimos”. Ele afirma, ainda, que as rampas de acesso são bastante pesadas, mas existem pessoas que sempre estão disponíveis para ajudar.

SÓCIO TORCEDOR

Um dos maiores pedidos da torcida é a criação de uma nova modalidade de sócio torcedor, exclusiva para pessoas com deficiência. De acordo com o Leônidas, há um diálogo com o clube que perdura há mais de um ano, porém, a solicitação ainda não foi atendida. “Ficou apenas na promessa e, até hoje, nada foi criado”, questiona.

Leandro Freitas em reunião com integrantes da Cruzeiro Eficiente (Reprodução/Instagram)

Leandro Freitas, Gerente de Marketing e gestor do programa Sócio 5 Estrelas do Cruzeiro, afirma que há uma limitação na criação da nova categoria pelo fato de as cadeiras do Mineirão pertencerem à Minas Arena, empresa responsável por gerir o estádio. “As cadeiras não são nossas, por isso, não depende exclusivamente do Cruzeiro”.

O gestor do Sócio 5 Estrelas acredita que a criação de um novo sócio para a categoria limitaria o número de beneficiados. “O Cruzeiro tem uma torcida gigante. Sem dúvida, tem muito mais torcedores cadeirantes do que o sócio poderia englobar”. Ele reitera que o clube vem fazendo diversas ações no âmbito social e inclusivo, através do Sábado Azul, movimento que acontece uma vez por mês e tem como objetivo promover ações sociais. Segundo ele, o clube está aberto para qualquer diálogo.

Entretanto, o presidente da Cruzeiro Eficiente reclama da dificuldade de diálogo com a diretoria neste ano. “Tento falar, mandar mensagem e não me respondem”. Apesar disso, ele mantém viva a esperança da criação de um sócio exclusivo para pessoas com deficiência, para que possam, também, colaborar com o clube e participar dos benefícios que o Sócio 5 Estrelas tem.

Atualmente, as PCD’s têm um sócio, chamado de Mineirão Eficiente, específico da Minas Arena, que possibilita a ida ao estádio com um acompanhante, mediante a pagamento de 50 reais ao mês.