Orquidário de BH é reaberto; saiba mais sobre essa planta

(Foto: Andre Borges/ Agência Brasília/ Fotos Públicas)

Depois de quase sete meses de reforma, que tiveram início no fim de 2017 e finalizaram abril de 2018, o orquidário do Parque Municipal Américo Giannetti foi reaberto ao público. A reabertura ocorreu no dia 19 de junho e diversos cursos foram oferecidos ao público.

O local, que foi inaugurado em 1966, está ainda mais especial. Os telhados estão mais novos e próprios para filtrar a luz solar, portas, sistema hidráulico, sistema de bomba para cascata também foram modificados. As mudanças fizeram parte do pacote comemorativo do Parque e da cidade de Belo Horizonte, que completaram 120 anos no ano que passou. As pinturas foram renovadas e as portas são do tipo blindex, para que o público tenha uma visão ainda melhor do parque.

O local possui cerca de 450 orquídeas das mais diversas espécies para exposição e recebeu o valor de aproximadamente 30 mil reais para a realização de toda a mudança. As orquídeas são flores delicadas e especiais, os cuidados necessário para que haja uma planta bonita e colorida são bem individuais. O espaço é palco de muitas palestras e exposições que auxiliam essa manipulação correta. Todas as quintas-feiras a Sociedade Orquidófila de BH se reune em breves cursos, palestras e mostras educativas,  às 20 horas para auxiliar aqueles que desejam aprender um pouco mais. Os interessados devem mandar email para sobh@sobhorquideas.com.br .

Informações importantes

Horário de funcionamento: das 6h às 18h, de terça-feira a domingo.

Localização: Av. Afonso Pena, 1377 – Centro.

Informações: 3277-4161.

Entrada gratuita

Curiosidades RA: 

Plantas misteriosas e incrivelmente bonitas, as orquídeas precisam de cuidados específicos para sua sobrevivência, mas essas plantas reservam algumas curiosidades.

  • As orquídeas precisam de ficar em lugares iluminados e para saber se a sua está no lugar certo, observe-a: quando amareladas, é indício de excesso de luz. Já se apresentarem folhas escuras, é sinal de falta de luminosidade.
  • As pétalas não devem ser molhadas pois são muito delicadas e isso pode facilitar o aparecimento de pragas.
  • As orquídeas são muito sensíveis e, por isso, é recomendado que os materiais utilizados na manutenção da planta estejam esterilizados.
  • Não existem orquídeas na Antártida devido ao frio excessivo.
  • São plantas epífitas, ou seja, vivem sobre outras plantas mas não retiram seus nutrientes, apenas utilizam-nas como suporte.
  • O maior número de espécies de orquídeas é o Equador.
  • A maior orquídea encontrada no Brasil foi a Epidendrum scalares, ela pode ser encontrada em Minas Gerais e na Bahia, e pode ter até 6 metros.