Novo aplicativo auxilia mulheres vítimas de violência

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

O governo de Minas Gerais lançou, na última terça feira dia 5, um aplicativo que dará suporte à mulheres em caso de violência. O “Alerta MG” foi criado a partir de ideia da polícia civil de oferecer às mulheres mais vulneráveis uma proteção maior. O aplicativo possui três interfaces diferentes, de acordo com a necessidade de ajuda demandada pela usuária.

Dentro do aplicativo estão disponíveis informações sobre os serviços públicos voltados à mulher, como hospitais e delegacias. Além disso, as usuárias podem castrar amigos e parentes no aplicativo e, quando estiver em perigo, acioná-los por meio de uma mensagem de texto que os enviará a atual localização. Ambas funções estão disponíveis em todas as cidade do estado.

Já a terceira função está em fase de teste apenas em Belo Horizonte, e consiste num contato direto com uma central de policiais civis. De acordo com a necessidade, uma equipe será deslocada para fazer o atendimento à mulher.

Dados de violência contra a mulher em Minas Gerais

De acordo com dados da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), houve um aumento de 9% dos casos de feminicídio em Minas Gerais entre 2016 e ano passado. Em média, ocorreu 1,1 assassinato desse tipo por dia no estado. Na maior parte das vezes, essa violência é cometida por homens próximos à mulher:  em 2017, foram relatados 433 casos de execução por maridos, namorados ou companheiros.

Ainda segundo a Sesp, a região do estado que mais apresentou casos de feminicídio foi a Região Integrada de Segurança Pública (Risp) de Contagem. A área, que abrange 18 municípios, teve 50 assassinatos de mulheres por questões de gênero no ano passado. Em segundo lugar está a Risp de Belo Horizonte, que teve 43 casos.

Quando se tratando de violência doméstica, em 2017 foram registrado mais de 145 mil ocorrências, isso levando em consideração apenas as denúncias feitas aos companheiros das vítimas. Cerca de 35% dos casos de violência contra a mulher, seja ela física ou psicológica, são cometidos por seus atuais maridos ou namorados, e 32% por um ex-marido ou namorado.

App “Mete a Colher” também procura ajudar mulheres vítimas de violência

O Alerta MG idealizado pela polícia civil de Minas Gerais não foi o primeiro aplicativo que procura auxiliar mulheres vítimas ou vulneráveis à violência. O aplicativo Mete a Colher, lançado em 2016 por um grupo de jovens de Recife, também recebe denúncias e dá suporte à mulheres que já foram agredidas de alguma forma por seu marido ou companheiro.

Ao acessar o aplicativo, cujo cadastro é feito via Facebook e disponível apenas para mulheres, a usuária pode escolher ajudar ou ser ajudada. Caso escolha ser ajudada, a vítima deve indicar qual forma de auxílio precisa, seja ele jurídico, psicológico ou médico. Assim, o aplicativo irá apontar a voluntária mais próxima e apta para ajudá-la. Caso seja uma situação de agressão em tempo real, as voluntárias que estão mais perto receberão um alerta e poderão pedir ajuda à polícia.

Atualmente, tanto o aplicativo Alerta MG, quanto o Mete a Colher só estão disponíveis para Android na PlayStore, mas atentam que em breve estarão disponíveis também para IOS.