Ministro propõe mudanças em bares e restaurantes

O Ministério da Saúde negocia com restaurantes e redes de lanchonetes o fim do refil para refrigerantes. Diversas pesquisas apontam que o refil aumenta em 30% o consumo de refrigerantes nos estabelecimentos. “Isso vai contra a nossa meta, que é justamente reduzir a ingestão da bebida”, comenta o ministro da saúde, Ricardo Barros.

O Ministério propõe ao congresso um projeto de lei que proíbe esse sistema de venda e segundo Ricardo, não há um prazo para que o acordo seja firmado. “Caso não cheguemos a um resultado comum, vamos estudar uma outra medida”.

Foto: Mario Tama

Além de acabar com o sistema de refis, o ministro propôs medidas para diminuir o consumo de sal e açúcar.  A proibição de saleiros nas mesas dos restaurantes e a mudança das embalagens, que passariam a conter mais informações sobre a quantidade ideal para o consumo. “O que vemos hoje é uma colher de sal, mas ela pode ser rasa ou muito cheia. Há uma grande diferença”.

Sobre retirar o sal das mesas, Barros explicou que a ideia inicial seria um acordo com donos de restaurantes e estabelecimentos.”Se todos concordarem, não há a necessidade de uma lei”, comenta.

Foto: Thinkstock

Segundo dados do Ministério Público, com as estratégias, já foram retirados, do mercado, 17 mil toneladas de sódio dos alimentos. A meta firmada com o setor gira em torno de 28.000 até o ano de 2020.

 

 

 

Guilherme Lorran

É estudante de Relações Públicas. No Roteiro Alternativo, atua como repórter.