”Lei do ex” assombra times do futebol brasileiro

A lei do ex é uma das leis mais temidas pelas torcidas e pelos times. Se você é ligado ao futebol, com certeza, você já foi vítima. Essa lei, nada mais é do que uma afirmação usada no mundo do futebol para dizer o quanto é ruim para um time enfrentar um ex-jogador que já defendeu sua camisa. Isso porque, na maioria das vezes, esse determinado atleta acaba marcando um gol.

Há quem diga que a lei do ex ignora diversos fatores do futebol, como bom desempenho técnico e tático, criação de chances de gol, esforços para evitar as falhas ou mesmo uma boa fase: Quando a lei é aplicada, não existe nada em seu caminho que possa evitá-la.

Claro que não existe legislação ou uma explicação real para esse fato, mas ela existe e, para alguns torcedores, enfrentar um atleta que já vestiu as cores do time de coração é quase um sinônimo de gol. No Campeonato Brasileiro de 2016, a lei se aplicou em quase 73% das rodadas e vitimou 16 equipes até o fim da 33ª rodada.

Em 2017 o Cruzeiro já aplicou e já foi vítima dessa lei: O volante Hudson, ex São Paulo,  marcou o seu primeiro gol pelo time mineiro exatamente contra o seu ex clube, pelo qual jogou durante três anos. O jogo foi válido pela Copa do Brasil e garantiu a vitória celeste por 2×0 e a classificação na competição.

Já na quarta rodada do Brasileirão, o Cruzeiro sofreu duplamente com a lei do ex: com gols de Wellington Paulista e Douglas Grolli. Wellington Paulista jogou no Cruzeiro de 2009 a 2013 e Grolli teve uma curta passagem pelo Cruzeiro, fazendo apenas dois jogos em 2015.

W. Paulista quando defendia camisa celeste (Foto: Wagner Meier / Agência Estado)

Em seu primeiro jogo no Campeonato Brasileiro o Atlético já foi beneficiado pela lei do ex: o volante Elias marcou um gol diante do Flamengo. O jogador já atuou pelo time carioca na temporada de 2013. Na partida contra o Sport, o Galo foi a vítima: Diego Souza, que passou pelo clube, marcou contra o time alvinegro no empate de 2×2.

Diego Souza, provoca torcida do Atlético após gol. (Foto: Pedro Vale/Agência Eleven / Gazeta Press)

Curiosidade RA:

  • Em 2016, o Grêmio foi o time brasileiro que mais sofreu com a lei do ex.
  • Com passagens por vários times do Brasil, Diego Souza, atualmente no Sport, é o jogador que mais faz gols contra seus ex-times. No campeonato de 2016, o jogador foi artilheiro com 14 gols e desses, seis foram marcados sobre times que defendeu em algum momento da carreira – Atlético-MG, Fluminense e Grêmio.
  • No Campeonato Brasileiro, 63 gols foram marcados no contexto da “lei do ex”, número superior ao melhor ataque da competição – pertencente ao campeão Palmeiras, que balançou as redes em 62 oportunidades.

Chiara Ribeiro

É estudante de Jornalismo. Atua no Roteiro Alternativo como cooperado de mídias sociais e repórter.