Jovem terá tatuagem apagada, após sofrer agressões

Um vídeo vem gerando discussão entre os internautas nas redes sociais. Ronildo Moreira de Araújo (29) e seu vizinho Maycon Wesley Carvalho dos Reis (27), foram presos sob a acusação de tortura por tatuarem na testa de um adolescente a frase “eu sou ladrão e vacilão”. A atitude teria sido motivada por um roubo de uma bicicleta, que, segundo o tatuador, ocorreu no mesmo dia. O caso aconteceu em São Bernardo do Campo e levou os homens a serem presos, pois os familiares do menor receberam o vídeo e denunciaram a ação para a polícia.

 

Após o ocorrido, o adolescente ficou desaparecido por algumas horas, mas foi encontrado por amigos caminhando pelas ruas de são Bernardo do campo. O jovem concedeu sua primeira entrevista ao G1, junto com seus familiares. O rapaz afirmou ter esbarrado na bicicleta e que em momento algum tentou furtar o bem.

Eu estava bêbado, esbarrei na bicicleta e ela caiu”, declarou o jovem.

Vânia Rocha, mãe do adolescente, afirmou que está preocupada com a recuperação do filho, pois o garoto é dependente químico. Ela espera conseguir um tratamento para o problema alcoólico do jovem, que, por falta de condições, não foi feito anteriormente.

Ele precisa de ajuda, de tratamento, a gente não tem condições de pagar, a gente é pobre. Eu sou auxiliar de limpeza e estou desempregada. Eu estou acabada. Ele pode ser o que for, mas o ser humano não tem o direito de fazer isso”, afirmou a mãe do garoto.

O dono da bicicleta, que é deficiente físico, ressaltou que o jovem não tentou roubar sua bicicleta e que vem chorando todos os dias a noite, devido ao fato de terem utilizado sua deficiência como pretexto para causarem um transtorno ao adolescente.

Uma campanha feita na internet arrecadou em 24 horas, 17.600 reais. O coletivo “Afroguerrilheira” criou a campanha com o intuito de ajudar o garoto com possíveis transtornos, remover a tatuagem, bancar os custos do processo judicial e ajudar no tratamento psicológico. O dinheiro que sobrar, será entregue à avó do adolescente, que vive e uma situação difícil e que é responsável pelo garoto.

 

Guilherme Lorran

É estudante de Relações Públicas. No Roteiro Alternativo, atua como repórter.