Espaços de coworking promovem inovação em BH

Seguindo as tendências cada vez mais presentes de start-ups e empreendedorismo, os coworkings surgem como uma alternativa inovadora de ambiente de trabalho para o profissional independente. Os diversos espaços espalhados por todo o Brasil caracterizam-se pela democratização de ambientes, em que milhares de pessoas têm a possibilidade de desenvolver seus projetos, compartilhar ideias e usufruir de estruturas completas que visam o melhor desempenho profissional.

Totalmente diferentes dos tradicionais locais de trabalho, os coworkings oferecem uma ampla heterogeneidade de espaços, com o objetivo central de atender todos os estilos de pessoas. O ano de 2017 foi marcado pela ascensão destes escritórios compartilhados. Atualmente, de acordo com pesquisas feitas pelo Censo Coworking Brasil, são conhecidos 810 espaços em território nacional. Em relação ao ano de 2016, houve um aumento de 114%, número extremamente considerável para um negócio que ainda é pouco conhecido. (Veja os dados da pesquisa)

Mesmo com uma pluralidade de salas com naturezas variadas, é possível estabelecer um padrão que vigora dentro dos escritórios. Após apurações, o Censo Coworking Brasil fez uma média referente à harmonização dos locais, considerando que nem todos possuem todos os ambientes.

Dessa forma,o espaço médio é composto por mesas compartilhadas, divididas entre profissionais e alugadas por hora/turno, mesas privadas, com posições residentes e alugadas periodicamente, salas privadas que, normalmente, são alugadas mensalmente por empresas e possuem um ambiente mais reservado e as tradicionais salas de reunião. Existem, também, as salas especiais, que possuem características específicas de acordo com cada coworking e oferecem um cenário inovador para quem usufrui. Por último, existem os espaços de convivência, normalmente acompanhados por algum serviço de café.

Minas Gerais possui 69 ambientes co-working e é o quarto estado brasileiro com mais estabelecimentos. Dentre estes, 47 encontram-se em Belo Horizonte, terceira cidade brasileira com mais ambientes de serviços compartilhados. A capital mineira foi pioneira em relação aos espaços coworking, com a inauguração do Guajajaras, hoje, denominado Guaja.

(Foto: Celso Lamounier)

Guaja Café-Coworking

Situado num ponto privilegiado da Avenida Afonso Pena com Santa Rita Durão, o Guaja foi inaugurado num prédio modernista de dois andares que já entrega a inovação do lugar a partir de sua arquitetura. O empreendimento é fruto da união da Guajajaras Coworking com A Alfaiataria que combinando a atmosfera de um café à estrutura e ao ambiente de um coworking, se apresenta como um espaço democrático, onde a comunidade interessada no desenvolvimento da economia criativa na cidade pode se reunir para trabalhar em conjunto. O espaço é dividido entre áreas ao ar livre e ambientes fechados com estrutura completa de escritório que podem ser utilizadas de forma gratuita.

Alinhado a este espaço de compartilhamento de ideias e trabalhos, o Guaja lançou sua plataforma digital (http://guaja.cc/). O portal compromete-se a apresentar educação, aprendizado e promoção a diversidade. São mais de 30 colunistas de áreas variadas escrevendo diariamente sobre suas experiências cotidianas. Nomes conhecidos da capital mineira como o designer Gustavo Grecco, Sérgio Souto, cofundador da BH Cool, o jornalista e ativista LGBT Lucas Ávila e João Souza (DA FA. VELA), já estão confirmados para a produção de conteúdo do site.

A página ainda oferecerá cursos online com aulas de pós-produção em programas como Photoshop e Illustrator, lições sobre gestão de marca, desde sua concepção até suas ações de marketing e lettering, técnica de caligrafia que se popularizou no meio publicitário. Contará, ainda, com um espaço digital destinado específico para venda de produtos da loja “Rosa GUAJA”, que terá objetos das mais de 20 marcas presentes na loja física.

Por: Lucas Amado Costa e Nádia Gomes

 

 

Roteiro Alternativo

Assuntos comuns, ângulos diferentes. Vem com a gente!