Entenda o envolvimento de Lula e Dilma nas delações da JBS

O empresário da JBS, Joesley Batista, cita na delação, o envolvimento dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff em contas bancárias no exterior. O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT-MG) , o ex-ministro da Fazenda, Guido Mantega e o ex-ministro da Comunicação, Edinho Silva também foram citados como ponto de ligação entre a empresa e os petistas.

Segundo o empresário, em 2010, Mantega teria pedido uma nova abertura de conta, desta vez, para Dilma, enquanto anterior teria sido para Lula. Joesley diz que perguntou para o ex-ministro da Fazenda se os dois sabiam de todo esquema e Guido confirmou.

Em 2011, Joesley fez um acordo com o BNDES e desembolsou 2 bilhões de reais para financiar a construção da planta de celulose da Eldorado. E pela transação, creditou 30 milhões em uma conta no exterior.

Os saldos das contas vinculadas a Lula e Dilma eram formados pelos ajustes sucessivos de propina do esquema BNDES e do esquema-gêmeo, que funcionava no âmbito dos fundos Petros e Funcef”, afirma Joesley

Já em época de campanha eleitoral em 2014, Guido Mantega se reuniu com Joesley Batista diversas vezes e teria apresentado uma listas de políticos e partidos que deveriam receber doações de campanha. De acordo com Joesley, a primeira lista citava membros do PMDB, base aliada do governo Dilma.

Em nota, Dilma negou qualquer envolvimento com a JBS e ter contas no exterior.

As afirmações de Joesley Batista em relação a Lula não decorrem de qualquer contato com o ex-Presidente, mas sim de supostos diálogos com terceiros, que sequer foram comprovados”, afirma a equipe de Lula

Foto: Ricardo Stuckert / Instituto Lula

Alexa Simon

É estudante de Jornalismo. No Roteiro Alternativo é responsável pela produção de conteúdo e manutenção do site.