Competição de aviões de papel reúne universitários em Belo Horizonte

Por Mariana Cavalcanti e Sylvia Amorim

Foto: Mariana Cavalcanti

Uma competição de aviões de papel está mobilizando universitários em todo o país. Trata-se da Red Bull Paper Wings, patrocinada pela famosa marca de bebidas energéticas. A proposta é simples: os estudantes devem fazer seu avião de papel e podem competir em três categorias, sendo elas distância, tempo de vôo e acrobacias. O vencedor da fase nacional ganha uma viagem para a Áustria, para disputar a grande final mundial. No dia 27 de abril, aconteceu a fase qualificatória em Belo Horizonte, na UniBH.


O evento contou com a participação de dj’s, animadores e até mesmo massagistas disponíveis para os competidores. Apesar de parecer uma competição simples, o evento atrai muitos universitários. Hitchely Kindellel, estudante de engenharia elétrica, foi para se divertir. Ele não pode mais disputar a final, porque apenas estudantes entre 18 e 25 anos podem representar o país. Mesmo assim, decidiu participar por lazer. “Eu vim para competir, e se ganhar, a gente comemora. Eu vi como eram os aviõezinhos de papel, treinei durante um mês e gastei muito papel. Mas fui treinando pra chegar aqui hoje e dar o meu melhor”, conta.


Apesar do lazer e do clima de descontração, a competição possui algumas regras. Os eventos devem acontecer em locais fechados, sem vento, ar condicionado ou ventilador. Os aviões devem ser construídos no local, com o papel fornecido pela organização. Cada participante tem direito a duas tentativas, e a melhor conta.  Na categoria “maior distância”, a pessoa deve lançar o avião atrás de uma linha, sem ajuda, e a medição é feita por uma fita métrica ou laser, do ponto de partida até o primeiro ponto em que o avião atingiu o chão ou outro objeto. 
Na categoria “tempo de vôo”, a contagem de tempo começa no momento em que o avião deixa a mão do competidor e termina quando atinge o solo ou outro objeto. O tempo é medido por décimos de segundo. A atual campeã mundial, Karen Hambardzumyan atingiu o tempo de 14,36 segundos de vôo. Já para a categoria de acrobacias, não é necessário comparecer ao evento, bastando apenas postar o vídeo com as manobras no Instagram marcando a RedBull.


Os vencedores deste sábado foram Hermes Vinícius, com a maior distância, e Artur Costa, que bateu o recorde nacional de maior tempo de voo com 9.26 no ar. A organização do evento ainda está discutindo se Artur deve competir pela nacional, ou se já vai representar o Brasil diretamente na Áustria. Um dos jurados da competição, Gustavo Carneiro , formado em engenharia aeronáutica pela Fumec, explica qual é a melhor técnica para vencer o campeonato: “A asa influência na aerodinâmica do avião e na sustentação. Se você tem um avião com a área da asa maior, ele vai ter uma sustentação maior, então ele vai pairar mais tempo mas em pouco velocidade, diferentemente do avião comprido”.

Um aeroporto foi simulado no local Foto: Mariana Cavalcanti

Roteiro Alternativo

Assuntos comuns, ângulos diferentes. Vem com a gente!