Cada vez mais brasileiros adotam o vegetarianismo: você conhece os motivos?

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Uma nova pesquisa do Ibope Inteligência constatou que 14% dos brasileiros acima de 16 anos se consideram parcialmente ou totalmente vegetarianos, o que representa 22 milhões de pessoas que não se alimentam de carne. Além disso, 60% dos brasileiros afirmam que consumiram mais alimentos veganos caso estes tivessem preço similar aos que estão acostumados a comprar.

Dentre os motivos para se adotar o vegetarianismo, além da causa animal, está a sustentabilidade. Isso porque diversos estudos mostram que a produção de carne está altamente ligada à concentração de terras, efeito estufa e crise hídrica. Segundo um estudo do National Geographic, quem adota uma dieta vegetariana consome cerca de 60% menos água do que alguém que se alimenta diariamente de carne. Por ano, seria uma economia de cerca de 1,5 milhão de litros de água.

Quando se tratanto de emissão de gases, uma pesquisa do Centro Internacional de Agricultura Tropical (CIAT), com sede na Colômbia, afirmou que a produção de alimentos representa entre 25% e 30% de todas as emissões de gases do efeito estufa gerados pelo homem. Além disso, 68% dos 5 bilhões de hectares de terra usados para produção de alimentos no mundo são destinados à pecuária, e um teço das terras são usadas apenas para produzir alimento para o gado. Caso parte desse espaço fosse trasformado em reflorestamento, a absorsão de carbono seria facilitada, o que aliviaria mudanças climáticas.

Por outro lado, de acordo com a mesma pesquisa, caso esse reflorestamento fosse realmente acontecer, seria preciso muito planejamento e investimento do estado, uma vez que as terras já estão degradadas. Também, diversas pessoas que trabalham com a pecuária perderiam seus empregos e precisariam de um auxilio para serem recolocadas no mercado de trabalho. Por fim, cerca de um terço das terras do mundo são áridas ou semiáridas e só comportam a criação de animais, por isso, um modelo de vida vegetariano tornaria impossível de se viver em algumas regiões.