BH tem quase 2,5 mil casos de conjuntivite registrados

A Prefeitura de Belo Horizonte publicou em seu site, no último dia 2,  uma orientação à população belo-horizontina quanto ao aumento nos casos de conjuntivite e a como evitar a contaminação. Segundo os dados da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (SMSA), já foram registrados 2.947 casos de pacientes no Centros de Saúde de BH.

Os casos individuais de conjuntivite não são notificados, mas os profissionais da saúde devem informar quando houver aumento no número de casos para evitar surtos. Esses são considerados quando há contagio e ocorrência, maior que o esperado pelas autoridades, em uma mesma época e uma mesma região. As regiões da capital mineira que apresentaram maior número de registros da doença foram a Leste, Norte, Nordeste, Oeste e Pampulha.

A conjuntivite caracteriza-se pela inflamação da conjuntiva, membrana transparente que recobre o globo ocular e a parte interna da pálpebra. Isso pode ocorrer por alguns motivos como agentes tóxicos, bactérias ou vírus. Vale ressaltar que a doença é altamente contagiosa, portanto é necessário que a população redobre os cuidados em locais fechados como transportes públicos e escolas/creches.

Sintomas

Os sintomas principais são olhos irritados, vermelhos, secreção ocular ou lacrimejamento. Algumas pessoas relatam a sensação de que há areia nos olhos. É importante prestar atenção nos sintomas e procurar um médico para que haja o controle da doença.

Prevenção

  • Lavar as mãos com frequência ou utilizar álcool em gel pelo menos 70%
  • Evitar coçar os olhos e levar a mão até eles
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal. Ex: maquiagens, toalhas, óculos.
  • Evitar locais fechados e com uma aglomeração de pessoas
  • Cobrir nariz e boca ao tossir e espirrar com toalhas/lenços, descartá-los e levar as mãos logo em seguida.