Belo Horizonte é a cidade mais arborizada do Sudeste

Os logradouros públicos de BH contam com mais de 500 mil árvores catalogadas (FOTO: Embratur/FotosPúblicas)

A paisagem das capitais brasileiras é, quase que em sua maioria, uniforme. Muitos prédios, carros lotando as avenidas, pouco espaço para os pedestres e para canteiros. Quando se aproxima dos hipercentros dessas cidades, a concentração de urbanização fica ainda mais evidente.

Quem vem à Belo Horizonte, porém, tem a possibilidade de contemplar um outro tipo de ambiente. A capital mineira é a cidade mais ‘verde’ do sudeste do Brasil. Com base em dados das Secretarias Municipais de Meio Ambiente das quatro capitais da região, Belo Horizonte tem a maior proporção de árvores por território.

Com cerca de 500 mil árvores catalogadas nos logradouros públicos da cidade (ruas, avenidas, quintais e outros espaços) e cerca de 330 mil quilômetros quadrados de território, Belo Horizonte tem a proporção de 1,508 árvores por quilômetro quadrado, valor que a coloca na posição de liderança no Sudeste.

Quando se compara esta estatística ao levantamento com relação às outras três capitais, a diferença é gritante. O Rio de Janeiro tem sua proporção em torno de 0,435 árvores por quilômetro quadrado, enquanto São Paulo chega a 0,427. Apesar de ter um território bem menor, não chegando à 1/3 do tamanho da capital mineira, Vitória apresenta a menor proporção: 0,313 árvores por quilômetro quadrado.

A constatação da presença do ‘verde’ no ambiente urbano se torna algo extremamente importante para o bem-estar da população uma vez que se tem a noção, cientificamente, de que, quanto mais árvores há em uma cidade, melhor se respira naquele ambiente.

Os índices de qualidade do ar em Belo Horizonte se mantêm entre 0 e 50 há, pelo menos, três meses, segundo informações da Secretaria Municipal de Meio Ambiente. Isso se torna ainda mais importante em tempos de baixa umidade relativa do ar, aliviando os efeitos do tempo seco.

Ainda que a concentração urbana de Belo Horizonte só aumente, os efeitos sentidos pela população não são tão fortes quanto poderiam ser, justamente devido à arborização dos espaços da cidade.

A ação dos órgãos públicos para a manutenção desses espaços é de suma importância. Além do Inventário das Árvores, feito pela Prefeitura de Belo Horizonte, chamamentos públicos, como o divulgado na última quinta-feira (22), incentivam a população a cuidar do meio ambiente. Neste último chamamento, por exemplo, a Prefeitura busca parceiros para ações relacionadas à Educação Ambiental, qualidade do ar, proteção aos animais e energias renováveis. Assim, a proteção à natureza pode se tornar uma forte arma de cidadania.