Ato reafirma Lula como candidato do PT ao Planalto

Petistas se reuniram para reafirmar a candidatura de Lula em Contagem (Foto : Ana Flávia Barbosa)

Na última sexta (8), o Partido dos Trabalhadores (PT) reuniu seus representantes políticos, governadores, deputados federais e estaduais, a presidenta do partido, a senadora Gleisi Hoffmann, o coordenador do Programa Lula de Governo, Fernando Haddad, a ex-presidenta Dilma Rousseff e simpatizantes do partido no evento de pré- candidatura do ex-presidente Lula. No salão do Hotel Actuall, em Contagem (MG), os petistas prepararam uma cerimônia que reafirmou a vontade do partido de manter a candidatura de Lula mesmo estando na prisão.

Com salão lotado de pessoas com bandeiras do PT e máscaras de Lula, o evento também contou com apresentações artísticas e depoimentos de militantes.    “ O morro mandou avisar, se a senzala descer, ninguém vai segurar.” Na voz de Flávio Renegado, esta frase cantada fez a plateia levantar em coro. E o que surpreendeu a todos, foi quando Flávio anunciou no palco uma menina pequena, com uma blusa vermelha e os cabelos cacheados, revelando que seu nome carregava uma homenagem a Dilma. O público aplaudiu as duas, enquanto essas se abraçavam e pousavam para as fotos. De sete anos, Dilma Kelly, recebeu este nome na época do primeiro governo Dilma. Joelma Bastos Silva,mãe de Dilma Kelly, conta que a inspiração do nome veio da avó da menina que possui o mesmo nome da ex-presidenta. ” Quando a presidenta tomou posse, eu estava ganhando ela. Além de homenagear a minha sogra, eu homenageei a presidenta. ” Joelma, sempre que pode, acompanha os eventos promovidos pelo PT e destaca que quer um Brasil melhor para sua filha e acredita que o caminho para isto é a volta de Dilma e Lula, enquanto parlamentar e presidente.

Dilma Kelly e sua mãe Joelma, logo após subir ao palco para encontrar a ex-presidenta Dilma – Foto : Ana Flávia Barbosa

A história de Dilma Kelly  não foi a única que emocionou . Todo o ato contou com vídeos e depoimentos que reforçassem  a ideia de que o PT conseguiu manter um país unificado e em desenvolvimento em seus anos de governo e que o país sofreu um baque desde quando Michel Temer tornou-se presidente.

De início, foi exibido um vídeo que narrou a trajetória do ex-presidente Lula, com destaques em momentos de sua carreira como seu encontro com Barack Obama, quando o americano disse a frase que ficou conhecida em todo mundo ” Esse é o cara. Eu adoro esse cara”. Em coro de ” Brasil urgente, Lula presidente”, o público  vibrava com cada vídeo e fala dos petistas.

A primeira a discursar foi a senadora e presidente do PT, Gleisi Hoffmann. Em sua fala  ela destacou que “o Brasil é um povo e não um mercado” e que isso não está sendo levado em conta no atual governo. Destacando que antes o brasileiro parcelava o carro, seus eletrodomésticos, e hoje parcela o gás de cozinha, Gleisi  reafirma que o partido irá registrar a candidatura de Lula no dia 15 de agosto. Em citação ao ex-presidente, a senadora disse

“Os poderosos poderão matar uma ou três rosas, mas jamais vão deter a chegada da primavera.”

Os próximos ministros e governadores que discursaram, continuaram com a ideia de que o Brasil precisa se reencontrar em um  momento de crises institucionais. Paulo Pimenta, líder do PT na Câmara dos Deputados, em sua fala, destacou que Lula dizia que se fosse preso, quem iria representá-lo nas ruas seriam seus eleitores. Paulo ainda destacou que ” não há plano B, plano C ou plano D, só o plano L”.

Por fim, a ex-presidente Dilma leu a carta que Lula escreveu na prisão, na qual passa um recado de que apesar das adversidades que vem enfrentando, mantém-se na esperança de ser presidente do Brasil novamente. A aproximadamente 2000 militantes que estavam na plateia, Dilma leu: ” E´ para acabar com o sofrimento do povo que sou novamente candidato à Presidência da República. Assumo esta missão porque tenho uma grande responsabilidade com o Brasil e porque os brasileiros têm o direito de votar livremente num projeto de país mais solidário, mais justo e soberano, perseverando no projeto de integração latino-americana”.

Eleitores do PT,Denilson Alves e José Beckmann apoiam a candidatura de Lula á Presidência e de Dilma ao Senado – Foto: Ana Flávia Barbosa

Os petistas ainda afirmaram que estão fazendo tentativas na Justiça para que Lula participe das campanhas eleitorais dentro da prisão, além de dar entrevistas, participar dos debates e conversar com seus eleitores por vídeo.

Hoje, o Datafolha revelou que Luis Inácio Lula da Silva, segue como favorito, com 30% das intenções de voto, seguido por Jair Bolsonaro (PSL) com 17% e Marina Silva (Rede) com 10%. No meio das incertezas do cenário da candidatura de Lula,  Gleisi Hoffmann (PR), tem reafirmado em seus discursos que Lula está em pleno gozo de seus direitos políticos.

As instabilidades presentes nessas eleições revelam como o sistema político brasileiro está enfraquecido. A nós,eleitores, resta acompanhar os desdobramentos do folhetim Eleições 2018, com a torcida de que Dilma Kelly conheça um Brasil mais justo e equilibrado.