Aplicativo promete levar mais segurança aos deficientes auditivos no trânsito

Segundo pesquisas realizadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil possui cerca de 9,7 milhões de pessoas com deficiência auditiva, o que representa 5,1% da população total do país. Deste número, apenas 10 mil possuem a Carteira Nacional de Habilitação (CNH), aproximadamente. A falta de informação, ausência de apoio familiar e, principalmente, a insegurança, são razões pelas quais a quantidade de motoristas ainda é reduzida.

Com objetivo de contribuir com a evolução deste cenário, um grupo de cinco alunos do curso de Sistemas de Informação da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG) criou o SuriCar, um aplicativo responsável por reconhecer sons externos ao veículo e projetar uma imagem correspondente ao barulho na tela do celular do motorista.

Ao abrir o SuriCar, o próprio microfone do smartphone começa a capturar o áudio e, através de um software, o som é analisado e interpretado pela inteligência artificial do aplicativo. Logo em seguida, os possíveis elementos que se aproximam do automóvel – bem como ambulâncias, viaturas policiais, bombeiros, caminhões, ônibus, dentre outros – são reproduzidos no display.

Dessa forma, os motoristas com deficiência auditiva podem se locomover com menos preocupação e mais segurança. Lucas Mari, um dos criadores do projeto, afirma que a ideia da criação surgiu com a simples dúvida de que um deficiente auditivo poderia ou não dirigir. “A partir disso, surgiu uma dúvida ainda maior: se, para eles, era possível identificar com facilidade esses sons que, para nós, é super normal (ambulância, buzina, etc.)”, conta o estudante.

A resposta de que existem poucos motoristas com deficiência auditiva no Brasil e que eles encontram dificuldades sonoras no trânsito diariamente foi motivadora para a execução do programa. “Já imaginou uma situação em que você é julgado por algo que você simplesmente não conseguiu identificar?”, questiona um dos idealizadores.

DESENVOLVIMENTO

(Foto: Divulgação/SuriCar)

Os primeiros conceitos do projeto começaram a ser elaborados em dezembro de 2016, com a proposta de participar da Imagine Cup 2017, uma competição anual organizada pela Microsoft para estudantes de diversas partes do mundo apresentarem seus projetos tecnológicos. Como a ideia ainda estava em sua fase inicial, o grupo de alunos não conseguiu a classificação para a fase final da competição no Brasil.

 

Entretanto, durante todo esse tempo, o sistema sofreu inúmeras modificações estruturais, com a finalidade de atender da forma mais completa possível o usuário final. “O aplicativo encontra-se em fase de desenvolvimento. Como ele sofreu mudanças de tecnologia, ainda não foi lançado, mas acreditamos que uma versão beta esteja pronta até o meio de abril”, explica Lucas.

Ele ainda ressalta a dificuldade de estabelecer uma base de áudios característicos atualizada, uma vez que os sons provenientes de ambulâncias, buzinas e veículos em geral não têm um padrão no Brasil. “Temos que capturar novos áudios de ambulâncias e novos tipos de buzinas, para sempre manter nosso aplicativo o mais atualizado possível”.

Com o software em constante desenvolvimento, os criadores já planejam ainda mais formas de otimização. Uma delas é a integração de veículos através do SuriCar, ou seja, quando um aplicativo identificar um barulho característico no trânsito, irá disparar para todos os motoristas próximos que possuem o programa. Deste modo, mais motoristas são alcançados de forma mais eficaz.