A nova Seleção: era Tite já deixa marcas na história

Do sexto ao primeiro lugar. Do medo de não participar da Copa do Mundo à chance de conseguir o Hexa. De técnico campeão brasileiro pelo Corinthians à estrela da Seleção Brasileira de futebol. Tite para o mundo, Adenor para os mais chegados. O sorriso no rosto e as mãos para o céu, agradecem por ser o primeiro técnico a levar seu time para Rússia 2018.

Há nove meses a seleção canarinho enfrentava uma grande crise. Já tinha ultrapassado a hora de Dunga, naquele momento era tempo de mudança. Tite sempre foi o mais cotado para o cargo, mas nem nos melhores sonhos, os brasileiros imaginavam uma campanha como essa. São 8 vitórias em 8 jogos, 24 gols marcados e 2 gols sofridos. O primeiro lugar nas eliminatórias da Copa de 2018 (mesmo descartando os jogos com o antigo treinador). Mas muito além disso, é ver o brilho de uma Seleção de novo, contar com jovens atletas se destacando, sem abrir mão dos seus homens de confiança. Um equilíbrio que deu certo, muito certo.

A diferença começa no esquema tático, 1-4-1-4-1. O time que marca em cima e recua em certos momentos, construindo uma fortaleza na defesa e sabe envolver o adversário com a bola nos pés. Os jogadores não são muito diferentes da era Dunga, mas os que entraram, vieram para ficar. É o caso de Gabriel Jesus (Manchester City), Casemiro (Real Madrid), Philippe Coutinho (Liverpool) e Paulinho (Guangzhou Evergrande), peças fundamentais nos últimos jogos.

Em entrevista ao programa Altas Horas, Neymar JR, camisa 10 e capitão da seleção, rasgou elogios para o técnico: “O que nos faltava era nossa identidade, ter alguém ali que colocasse seu comando, seu modo de pensar dentro do campo e nos ajudasse. Com o Tite, deu liga, deu tudo certo”, disse o atacante.

Apesar dos grandes números, o próprio treinador sabe que todos devem manter os pés no chão, e que uma hora ou outra a derrota será inevitável, faz parte do esporte. Mas as esperanças dos torcedores estão renovadas, a seleção está com passaporte para a Copa do Mundo garantido com quatro rodadas de antecedência. Por isso o Brasil te pede:

Ensina, Adenor. A Rússia te espera.

 

(Foto: site RSesporte)

Luiza Fiorese

É aluna de jornalismo. Atua como Diretora de Jornalismo, repórter e roteirista.


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0